Curso de Biopoder Camponês no Território do Sisal forma multiplicadores em agroecologia

21

Formar multiplicadores e conhecedores do Biopoder Camponês na produção agroecológica no Território do Sisal, promovendo a disseminação de práticas sustentáveis e a valorização da agricultura familiar, esse foi um dos principais objetivos do  Curso “Biopoder Camponês no Território do Sisal”, realizado entre os dias 29 de abril e 03 de maio de 2024 no Centro Acadêmico de Educação e Desenvolvimento Territorial – CAECDT/UNEB em Conceição do Coité.

O Curso Biopoder Camponês no Território do Sisal, ministrado pelo professor e  engenheiro agrônomo e florestal Sebastião Pinheiro,  é uma formação em agroecologia e visa  despertar os agricultores e agricultoras familiares, conhecidos como camponeses, para o poder que possuem em seus sistemas de produção de alimentos. A formação busca garantir a independência e autonomia desses agricultores, oferecendo subsídios para a produção de alimentos limpos e seguros de forma sustentável.

A Fundação APAEB foi representada nesta formação pelo técnico em agropecuária Tiago Almeida, que externou  a importância de sua participação e como será útil no seu dia a dia todo conhecimento adquirido.

“O curso é fundamental para aprimorar e consolidar nossos conhecimentos, permitindo compreender melhor e de forma prática a importância da produção agroecológica. Após a conclusão, estarei munido de novos conhecimentos e práticas agroecológicas que facilitarão minha atuação no campo junto aos agricultores”, acredita Tiago.

Durante o curso de imersão, os participantes foram envolvidos em atividades práticas e teórico-reflexivas, dedicando pelo menos 12 horas diárias ao desenvolvimento de habilidades relacionadas à dinâmica sociocultural, ambiental e política do semiárido, especificamente ao domínio da caatinga.

A formação foi  realizada pelo  Movimento dos Pequenos Agricultores, Coletivo Clube dos Roceiros, Instituto Federal Baiano – Campus Serrinha, Centro Acadêmico de Educação e Desenvolvimento Territorial (CAECDT/UNEB) e Fundação Juquira de Candiru Satyagraha, em parceria  com a Escola Família Agrícola do Sertão, Escola Família Agrícola de Valente, a Fundação de Apoio à Agricultura Familiar do Semiárido da Bahia (FATRES) e o Movimento de Organização Comunitária (MOC).